Que bom se houvesse sanções

Que bom que seria se houvesse sanções internacionais à países que: favorecem o tráfico de mulheres (que em geral são enviadas para outros territórios para serem estupradas); tem altas taxas de estupros contra crianças; não combatem uniões forçadas de crianças com homens adultos, resultando em estuprod e vulnerável (“casamento infantil”); promovem trabalho escravo; tem altas taxas de homicídio de população indígena; tem altas taxas de homicídio de população negra periférica; que tem altas taxas de analfabetismo por conta da desigualdade de acesso à escola; que tem altas taxas de crianças fora da escola devido à desigualdades econômicas.

Que bom seria se países se mobilizassem para punir países que: mantém grande parte da população passando fome enquanto poucos bilionários se apoderam das riquezas nacionais; mantém número considerável de pessoas abaixo da linha da pobreza devido à desigualdade econômica; permitem sites de pornografia que veiculam imagens de mulheres e crianças sendo estupradas (você sabia que a indústria on-line de pornografia é uma das maiores do mundo e hospeda em seus sites, grande de quantidade de imagens de estupro?). Que bom seria se houvesse sanções internacionais à países que empregam imigrantes africanos, asiáticos e sul-americanos para trabalhos precarizados e com baixa remuneração (alô Europa); que pagam menores salários para mulheres e pessoa negras pelo mesmo serviço realizado que homens e pessoas brancas (alô Brasil). Que bom seria se houvesse sanções à países que permitem apedrejamento de mulheres e mutilação genital; que não pune médicos que violentam pacientes dentro de consultórios, salas de cirurgia e salas de parto. Que bom se houvesse sanções!

Estamos vendo que sancoes são um ótimo mecanismo de dizer à alguém ou à um país que certas atitudes não são aceitáveis, certo?

Quando é que teremos sanções para países que promovem, autorizam e legitimam todas essas violências citadas?

Daniela Alvares Beskow

28 de fevereiro de 2022

Também publicado no Instagram