Políticas públicas e artes

2021

Festivais e mostras aprovadas pela Lei Aldir Blanc

Política de reserva de vagas de acordo com o critério de proporcionalidade

Breve análise da estrutura da Lei Aldir Blanc

Artes cênicas e trabalho: pelo fim da precarização

Reflexões sobre a Lei Aldir Blanc

2020

Proposta de retificação ao edital “Ações em Rede” da cidade de Campinas, no que tange ao sistema de cotas

Reserva de vagas no edital “Ações em Rede” da cidade de Campinas e reflexões sobre cotas

Videodança e troca de ideias: “Ao público”. Reflexão sobre os teatros de arena ao ar livre da cidade de Campinas

Cotas para tudo, cotas para a maioria e revezamento de funções

2019

Artes cênicas no Brasil: proposta para eliminar a precarização

2017

Reflexões sobre o trabalho das mulheres nas artes cênicas. Item 1.4 “O trabalho das mulheres nas artes cênicas”. da dissertação de mestrado da autora “O discurso das mulheres na cena paulistana de 2015-2016: uma proposta feminista de análise de espetáculos”. Páginas 44 à 48.

Reflexões sobre o fato de sobre peças dirigidas por homens terem aproximadamente 3 vezes mais divulgação em guias culturais da cidade de São Paulo nos anos de 2015 e 2016; e também sobre homens terem predominância na direção de organizações na cidade assim como em receberem mais prêmios na área teatral do que mulheres. . Itens “Análise dos resultados” e “Mulheres na direção” da dissertação de mestrado da autora “O discurso das mulheres na cena paulistana de 2015-2016: uma proposta feminista de análise de espetáculos”. Páginas 73 à 76.

Propostas para o fortalecimento da divulgação de obras cênicas produzidas por mulheres; e para o fomento de mulheres diretoras e em cargos de tomada de decisão nas artes, em espaços educacionais. Item “Desafios” da dissertação de mestrado da autora “O discurso das mulheres na cena paulistana de 2015-2016: uma proposta feminista de análise de espetáculos”. Páginas 150 à 151.

A configuração do trabalho em artes cênicas no Brasil: a precarização

Artistas precisam de estrutura para trabalhar e não apenas de editais temporários

Experiência de Daniela Alvares Beskow na área:

1- Participação como palestrante em debates

2- Participação em gestões compartihadas de espaços públicos

3- Desenvolvimento de obras artísticas em espaços públicos na cidade de Campinas-SP

4- Arte-educadora em espaços públicos

5- Eventos artísticos organizados em espaços públicos, co-coordenados por Daniela Alvares Beskow em Campinas-SP

6- Agente cultural e articuladora

1- Participação como palestrante nos seguintes debates

“Terceiro Encontro Caju Cultura” sobre mulheres trabalhadoras da cultura realizado em 29 de abril de 2019, “A mulher na música instrumental” na programação da IV Mostra Jazz Campinas realizado em 26 de junho de 2019 e “Mulheres e as artes cênicas”, debate online realizado pela Rede Lilith, em 15 de agosto de 2020.

2- Gestão compartihada de espaços públicos

Centro Cultural Casarão. Campinas – SP. 2007 até 2008 e 2011 até 2012

3- Desenvolvimento de obras artísticas em espaços públicos na cidade de Campinas-SP

Performance coletiva na Praça da Paz. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Ano de 2003.

Gravações de curtos filmes de dança no Teatro de Arena do Ciclo Básico . Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Anos de 2010 e 2017.

Pesquisa em local-específico e gravação de curtos filmes de dança. Centro de Inclusão Social Guanabara (CIS- Guanabara/UNICAMP). Ano de 2019

Pesquisa em local-específico e gravação de curtos filmes de dança. Teatro de arena do Centro de Convivência, Concha Acústica do Taquaral e Teatro de Arena da Praça da Paz/UNICAMP. Ano de 2019

Pesquisa em local-específico e gravação de curtos filmes de dança. Estação Cultura. Ano de 2020

4- Arte-educadora em espaços públicos

Trabalho de arte-educação com crianças em situação de rua no projeto de extensão Mano a Mano, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Anos de 2001 e 2002.

5- Eventos artísticos organizados em espaços públicos, co-coordenados por Daniela Alvares Beskow em Campinas-SP

Intensidade Audiovisual: mostra de fotografia, artes plásticas, música e dança. Edições 1,2 e 3. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Anos de 2003 e 2004.

Mudarena. Rádio e Arte. Edições 1, 2 e 3: evento ao ar livre, música, dança e vídeo. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Anos de 2005 e 2006.

Tarde Cultural Casarão e Elesbão: apresentações artísticas. Ano de 2007.

Primeira Mostra de Dança e Artes do Casarão do Barão: apresentações artísticas. Centro Cultural Casarão. Ano de 2008.

Mostra Luta! Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS-Campinas). Edições de 2008, 2009 e 2010.

Casaré. Cabaré do Casarão. Centro Cultural Casarão. Edições entre 2011 e 2012.

Segunda Mostra de Dança e Artes do Centro Cultural Casarão. Centro Cultural Casarão. Ano de 2012.

Atividade do Festival Camdança Mirante organizada pelo Coletivo Camdança. Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS-Campinas). Ano de 2015.

Solos de Dança. Centro Cultural Casarão. Ano de 2015.

Mostra de Dança Camdança no Festival Fevereiro na Dança. Centro de Inclusão Social Guanabara (CIS-Guanabara/UNICAMP). Ano de 2019.

6- Agente cultural e articuladora

  • Co-coordenadora do Projeto Camdança entre 2014 e 2019 (www.camdanca.com)
  • Integrante do Coletivo Casarão entre 2007-2008 e 2011-2016 (https://centroculturalcasarao.wordpress.com/)
  • Integrante do Coletivo de Comunicadores Populares organizando a Mostra Luta! (2009-2011).
  • Participação ma Câmera Temática de Artes da Cena de Campinas (2019 até início de 2020).
  • E outros projetos coletivos.