Mulheres que transformaram o Brasil

Séc. XIX

Nísia Floresta (1810-1885). Escritora e professora. Fundadora da escola para meninas Colégio Augusto, que existiu de 1838 à 1856 no Rio de Janeiro.

Leia: “O livro ‘Direitos das mulheres e a injustiça dos homens’ de Nísia Floresta: literatura, mulheres e o Brasil do séc. XIX” artigo de Isabela Candeloro Campoi, publicado em 2011.

Séc. XIX e XX

Maria Lacerda de Moura (1887-1945). Jornalista, escritora e professora. Autora de 14 livros, dentre eles, “Serviço obrigatório para a mulher? Recuso-me!” (1933) e “Clero e fascismo: horda de embrutecedores” (1934); e de dezenas de textos jornalísticos, dentre eles, “Feminismo” (1921), “A mulher brasileiras e os problemas sociaes” (1922) e “A crise do café” (1929).

Leia: “A outra face do feminismo: Maria Lacerda de Moura”, livro de Míriam Moreira Leite, publicado em 1984.

Séc. XX

Antonieta de Barros (1901-1952). Jornalista, professora e política. Primeira mulher negra no Brasil a ser eleita na política representativa no ano de 1934, foi deputada estadual por Santa Catarina. Eleita novamente em 1947. Escreveu para oito jornais.

Leia: “Antonieta de Barros: a parlamentar negra que criou o Dia do Professor”, matéria do El Pais Brasil, publicada em 2020.