Manifesto contra o Fechamento do Ministério da Cultura: Vôo para o futuro.

Manifesto contra o Fechamento do Ministério da Cultura: Vôo para o futuro.

Tiche Vianna

O projeto de país proposto por este governo interino é uma ponte sobre a qual as políticas públicas socio culturais não podem passar. Assim, Michel Temer fecha ministérios nos dizendo que em seu país idealizado para o futuro, estas questões se reduzem a assuntos de secretaria e secretárias.

Nós artistas, espectadores, espaços, grupos e produtores culturais de Campinas, sobre o fechamento do MINC, aqui nos manifestamos indignados, esclarecendo que:

Cultura é tudo o que um ser humano é no mundo. Cultura é o modo de ser de um povo. Cultura é o modo de agir de seus governantes. Cultura é o modo de legitimar um Estado. Cultura é a missão de uma Empresa e o modo de estimular, ou não, seus funcionários. Cultura é a dignidade ou a falta dela nas relações humanas.

Cultura é o jeito de brincar, de dançar, de comer, de cantar no banheiro. Cultura é dizer obrigada ou não, xingar e pedir por favor, ou não. Cultura é o desejo de usar roupas de estilo europeu debaixo de um calor de 40 graus e gastar muita energia com ar condicionado. Cultura é acreditar que a rua é terra de ninguém. Cultura é conhecer a memória, a história, o passado, as tradições, os mestres.

A Cultura está no seu jeito de se relacionar com quem pensa diferente de você, com a natureza, com o trânsito, com o índio, com o agronegócio, com a população negra, com mulheres, com LGBTs, com os movimentos sociais, com a homofobia, com fantasmas, com mulas sem cabeça, com veneno de cobra, com armas de fogo, com as exigências do banco, com a burocracia do Estado, com a malária, gripe e dengue. A Cultura reflete a capacidade de compreender que um indivíduo faz parte de algo muito maior que ele, como uma sociedade inteira, com toda a complexidade que lhe é peculiar. A Cultura é a única maneira de você saber quem é, onde está e pra onde quer ir.

E o que é arte no meio da Cultura? A arte é um dos modos de expressar tudo isso nas suas mais variadas formas e linguagens. A arte expressa nossa capacidade de imaginar futuro, de questionar verdades absolutas, de inventar realidades distintas, de nos colocarmos no papel do outro, de vivermos vidas diversas, de representarmos pensamentos distintos dos nossos, de sonharmos mundos diferentes e possíveis.

E a lei Rouanet no meio da Arte, o que é? É um dos modos de financiamento de um determinado tipo de produção específica. A Lei Rouanet viabiliza apenas uma parte muito pequena da produção cultural brasileira. Aliás, isso é notório.

Portanto fechar o Ministério da Cultura:

É propor que um país se perca de si, pare no tempo e padronize comportamentos. É apagar memória, sentimentos e o valor do pertencimento ao comum e ao incomum.

É negar a importância da existência para além do trabalho submetido ao dinheiro. É submeter pessoas à função de coisas.

É mercantilizar o humano e valorizar apenas a força de produção contida em nossos corpos, substimando a força criativa que também está em cada uma das pessoas brasileiras.

Pra onde esta ponte quer nos levar, construindo um futuro sem afirmar a cultura de nosso povo? Como?!!

A Cultura brasileira é o maior patrimônio que este país produziu para a humanidade, porque somos um país que viabiliza a mistura humana. Nossa impureza é nosso maior patrimônio! Mil ministérios ladrões golpistas derrubem, duas mil ações socio culturais brotem nas ruas por cada um deles, contra este brasil vergonhoso, para o qual essa tal ponte quer nos levar.

Não precisamos de ponte, Sr. Interino! Para o futuro, nós, cultura brasileira, soubemos voar!! E quando os senhores terminarem vossa travessia, já estaremos lá, vos aguardando para mostrar-lhes que o futuro desejado está sendo construído há tempos! Os senhores é que se perderam na contramão da história!!

NÃO ADMITIMOS NENHUM RETROCESSO ÀS CONQUISTAS SOCIO CULTURAIS ALCANÇADAS COM MUITA LUTA PELO POVO BRASILEIRO.

NÃO RECONHECEMOS A LEGITIMIDADE DO ATUAL GOVERNO INTERINO DO SR. MICHEL TEMER, NEM SEU NOVO MINISTÉRIO REPLETO DE INVESTIGADOS POR CRIMES DE CORRUPÇÃO.

ATÉ O MOMENTO ASSINAM ESTE MANIFESTO OS SEGUINTES ARTISTAS, ESPECTADORES, ESPAÇOS, PRODUTORES E GRUPOS CULTURAIS:

Barracão Teatro, Tiche Vianna, Esio Magalhães, Cau Vianna, Cooperativa Paulista de Teatro – Interior/Campinas, Kaian Ciasca, Bons Ventos Coworking, Maria da Gloria Coelho, Clínica Movimento, Daniel Salvi, Maria Renata Rotta Furlanetti, Fabiana Ribeiro, Bruno de Oliveira Pregnolatto, Roberto Rosa, Cia Fábrica São Paulo, Brisa Vieira, Erika Silva Gallo, Mimi Tortorella, Ana Pessoa, Daniel Braga Campos, Áurea Carolina Coelho More, Edu Guimarães, Cassiane Tomilhero, Cais das Artes, Anabela Leandro, Edu de Maria, Beatriz Ruela, Lívia Lima, Alice Villela, Alice Possani, Ludmila Santos, Guga Cacilhas, Ivens Burg Cacilhas, Joana Toledo Piza, Hidalgo Romero, Coraci Ruiz, Julio Matos, Marina Tenorio, Brisa Vieira, Simone Silva, Ramon Del Pino, Nico Villas Bôas, Gustavo de Medeiros, Naná Cosme da Silva, Fred Trivellato, Fernando Fubá, Luana Reis Vieira, Alexandre D Avila, Anisha Vetter, Augusto Sánchez, Darko Magalhães, Dilermando Santos, Érico Damineli, Érika Silva Gallo, Fabricio Gallo, Fábio Rizza, Juliana Yumi Kaneto, Julinda Santana, Melissa Angela Oliveira, Renato Ferracini, Niel Braga Campos, Fabio Dias, Alexandre Caetano, Kena Chaves, Fabio Dos Santos, Boa Companhia, Café Tango, Orquestra de Choro Campineira, Trio Arrebol, Gabriel Coelho Mendonça, Maíra Rodrigues Vicentin, João Paulo Rossin Polo, Nilcea Vicente, Cia Cênica, Fagner Rodrigues, Jacqueline Obrigon, Dani Scopin, Mauro Braga, Felipe Venancio, Arthur Mattar, Taiana Cuschnir Avritchir, Cynthia Margareth, Mariella Siqueira, Núcleo Feverestival, Mariana Rotilli, Helena Agalenéa Moreira, Beatriz Magosso, Valter Palmieri Junior, Eduardo Belluzzo, Tomás Saraiva, Gabriela Giannetti, Marina Franco, Jesser de Souza, Lume Teatro, Marcella Bolzan, Arthur Amaral, Gloria Pereira da Cunha, Grupo Maracatucá, Aléxia Lorrana, Marisa Riso, Rafael Marques, Guga Costa, Hellen, Audrey, Cristina Bueno, Caixeiras das Nascentes, Manifesta Maranhense, Daniel de Almeida Santos, NECC – núcleo experimental de cinema, Raquel Hirsh, Naomi Silman, Cia Estriônica, Allan Ortega Monteiro, Dalga Larronda, Cia Tugudum, Rachel Rosalen, Reginaldo Nascimento, Débora Bergamini, Lucelia dos Reis, Paloma Faria Quintas, Maria Beatriz Bouissou Macedo, Camila Januário de Lima,  Iara Castro Aragão, Maria Stela Tobar Mariucci, Ana Carolina Nardi, Aline Alencar Francisco, Priscila Candeloro Herminio, Priscila Martins,  Trupe Tamboril, Claudinei de Souza, Juliana Saravalli Garcia, Rosana Mubarac, Elisabete Kaczorowski, Talitha Borges da Silva, Cia Beira Serra de Circo e Teatro, Carlos Alberto Mani,  Jair Correia,  Jair Correia, Denise Anzorena Simeão, Taynã Azevedo, Marcela Moreira, Daniela Alvares Beskow.

17 de maio de 2016 – 12h45.

 

Como citar esse texto:

Vianna, Tiche. Manifesto contra o Fechamento do Ministério da Cultura: Vôo para o futuro.Palavra e Meia, Maio. 2016. Disponível em: <http://www.palavraemeia.com/convidadas/manifesto-contra-o-fechamento-do-ministerio-da-cultura-voo-para-o-futuro/> Acesso em: [inserir data].